Mar Puro

Elevação Espiritual de Portugal

Nome:
Localização: Rotterdam, Feijenoord, Netherlands

Afinal, o que é a Vida?! A soma das visões de todos aqueles que cá andaram, mais a soma das visões de todos aqueles que cá estão, mais a soma das visões de todos aqueles que cá irão andar, é, aproximadamente, igual á diferença de opiniões sobre isso mesmo...

quinta-feira, março 17, 2005

Amor e apego

Venho a compreender cada vez melhor a diferença entre Amor e apego:
o Amor liberta o objecto de seu amor,
nada espera dele,
não sente possuí-lo
e incondiccional é o seu amor para com o mesmo.
O apego é ciumento em relação ao objecto do seu apego,
espera sempre alguma coisa dele,
sente-se dono do mesmo
e procura sempre controlá-lo.
O Amor não deseja coisa alguma,
mas tudo faz para que o objecto do seu amor se sinta feliz,
mesmo que isso implique afastar-se dele,
ou afastá-lo de si,
o que faz com facilidade,
já que não sente tê-lo,
logo, nunca sente perdê-lo...
como não espera nada do objecto de seu amor,
nunca se ilude em relação ao mesmo,
logo, nunca se decepciona com ele
e por isso mesmo é que é incondiccional.
O apego, por sua vez, cria uma imagem não real do objecto do seu apego,
de onde parte o desejo de tornar tal objecto igual á imagem que dele faz,
deste modo esperando sempre alguma coisa dele
e sofrendo quando o tal objecto de seu apego não age de acordo com as suas expectativas.
O Amor é a Alma... o apego é o ego.
O Amor é eterno... o apego é efémero.
O Amor é real... o apego é ilusão.
Mas o caminhar o Amor não implica somente distinguir ambos,
o Amor e o apego:
é necessário passar por situações intensas,
muitas vezes extremas e dolorosas,
para que consigamos escolher viver o Amor
e não agir segundo o apego,
coisa que se revela de muita dificuldade para quem tem o ego bem vincado em seu ser,
ou seja, a personalidade bem vincada.
Pensamos tantas vezes amar,
quando, verdadeiramente, não passa de apego:
daqui vem o sofrimento do mundo...
quem vive o Amor sabe que ele é eterno
e que nem com o desencarnar ele termina...
mas quem vive segundo o apego, o ego, ou personalidade,
sofre cada vez que alguma coisa se afasta de si,
porque, sentindo possuir,
sente perca.
O Amor é a Alma... o apego é o ego.
O Amor é eterno... o apego é efémero.
O Amor é real... o apego é ilusão.
O Amor liberta o sujeito e o objecto.
O apego prende o sujeito e o objecto do seu apego.

dualeto_2004@hotmail.com

2 Comments:

Blogger Rô Castro said...

Este comentário foi removido pelo autor.

janeiro 26, 2010 12:06 da tarde  
Blogger Rô Castro said...

lindo poema parabéns!!
abraços Rosana

janeiro 26, 2010 12:06 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

  • Lápis e Papel